quinta-feira, 12 de maio de 2016

A morte da democracia: a volta da direita pela porta dos fundos
















Dia 12 de maio de 2016. Dia de luto. Dia de lamentar a morte daquilo que conquistamos de mais precioso após duros anos de ditadura e autoritarismo. O que veio depois de muito tempo – as eleições diretas – se vai em pouco tempo. Nossa jovem democracia sofreu um duro golpe e abrimos um precedente para que políticos democraticamente eleitos sejam removidos à revelia da validade do voto popular.

A data também marca o retorno da direita – que na verdade nunca foi embora – ao governo. Desde 2003, quando Fernando Henrique Cardoso deixou o governo após oito anos de mandato, a presidência ficou em mãos do Partido dos Trabalhadores. Mas, finalmente, após perder quatro eleições (duas para o Lula – 2002 e 2006 – e duas para a Dilma – 2010 e 2014) o conservadorismo retoma o lugar que sempre considerou seu. Quando perderam as eleições em 2002, acreditavam que aquilo seria passageiro, que em pouco tempo recuperariam o cargo, que monopolizaram durante décadas e que usurparam quando não conquistaram pelas vias legais. Mais uma vez a história se repete.

Mas a tristeza desde que escreve se manifesta não pelo fato do ocupante do cargo ter sido afastado, mas pela reação e desejo de boa parte da população deste país. Assistir ao “povo” comemorar a ascensão do vice ao poder trazendo com ele tudo que há de podre na política brasileira é deprimente. Parece não saber o que queremos. A incoerência é gritante e inexplicável. Os patriotas que combatiam a corrupção comemoram a posse de um corrupto ao cargo de chefe de Estado. Os cidadãos de bem, defensores da moral e dos bons costumes se indignaram e esbravejaram a nomeação de Lula para o ministério da casa civil por ser investigado na Lava-Jato, mas vê passividade a nomeação de sete (ISSO MESMO! SETE) investigados pela mesma operação a diversos ministérios. Somos o país do golpe, a ignorância, da incoerência e da antidemocracia.

Mas assisto a tudo isso de cabeça erguida, com orgulho daquele que sabe que luta do lado certo. Agora é aguardar cenas dos próximos capítulos e torcer para que o estrago na vida das pessoas comuns não seja tão grande quando chegarmos em 2018, quando finalmente poderemos tentar corrigir o grave erro que foi cometido nesta data: 12 de maio de 2016.